domingo, 20 de setembro de 2009

Negócios, Networking e Twitter

*por Fábio Azevedo

Empresas e profissionais que desejam construir uma excelente rede de relacionamentos, precisam se atualizar. O mundo atual, cobra um preço bastante alto, daqueles que ainda não se adaptaram às inovações tecnológicas. Estar presente, em ambientes virtuais como o Twitter, virou quase obrigação. Até parece que voltamos no tempo, quando, ainda pré-adolescentes, ouvíamos os amigos da escola ou do bairro perguntarem, se ainda não tínhamos comprado o tênis ou a calça da moda. Hoje, somos medidos pelas redes sociais que frequentamos. Mas a verdade é que, estar presente no mundo virtual, tem seus benefícios, e posso afirma que são muitos!

Para os que sonham com uma rede de negócios ampla, bem horizontalizada e com membros influentes, desenvolver relacionamentos é fundamental. Não importa se isso acontece pela internet, celular ou tête-à-tête, o que interessa de fato, é o seu desempenho nesta atividade. Construir e desenvolver redes de relacionamento produtivas, é tarefa para profissionais, pessoas que realmente se dedicam ao ato de construir amizades, seja no âmbito corporativo ou não, afinal, todos nós trabalhamos com alguma coisa, e certamente um dia, indicaremos ou precisaremos dos produtos ou serviços de outros.

Se analisarmos bem. Qual a diferença entre todas estas ferramentas de mídia social que surgiram nos últimos tempos? Para mim, somente as formas como elas são acessadas! Só isso! Pois o D.N.A de todas elas chama-se R-E-L-A-C-I-O-N-A-M-E-N-T-O. Nós, seres humanos, temos uma necessidade altíssima de manter contato, conversar, trocar experiências, estar perto de outras pessoas, nem que seja, para apenas ver o que elas estão fazendo, gente gosta de gente! Somos seres sociais, extremamente interligados, e precisamos sempre, saber o que acontece com o outro, seja ele de outro bairro, estado ou país.

É exatamente isso que se esconde debaixo de todas estas novas formas de comunicação, precisamos aprender a utilizar tais ferramentas em nosso favor, não importa à qual você pertence, Orkut, Facebook, Flickr, MySpace, Youtube, Linkedin, você precisa ser um bom gestor destes espaços, um gestor de relacionamentos.

Segundo a revista Veja, nenhum outro país do mundo, possui tantos adeptos de redes sociais como o Brasil, ultrapassando a casa dos 29 milhões de usuários. O Twitter, também não foge a regra, e muitos apostavam que ele não iria deslanchar, mas dia-a-dia, milhares de pessoas no mundo, encontram uma nova função para ele, e ainda criam programas e funcionalidades para maximizar o desempenho desta ferramenta. Para termos uma idéia, o número de pessoas cadastradas no Twitter em 2008, teve um crescimento de 900%, e atualmente já passam de 55 milhões. Mas o que importa nisso tudo, é aprender como utilizar estas ferramentas em nosso favor, e de que forma, vamos aumentar e qualificar nosso Networking.

Informações aparentemente irrelevantes nas redes sociais, revelam o perfil consumidor de milhares de clientes, minuto a minuto, e isso vale ouro para empresas que desejam melhor posicionamento no mercado e preocupam-se com seu branding. Podemos assim, perceber o poder que estas redes sociais terão em poucos anos, quando estivermos falando não mais de Web 2.0, mas sim de versões 3.0 ou 4.0, que priorizarão o cruzamento destas informações. Uma inteligência coletiva, que traçará um perfil macro deste consumidor do futuro, que terá suas opiniões e hábitos de consumo mapeados detalhadamente, desde de o que você lê, escuta e assiste, até ao que você come, bebe, veste e pratica, enfim, você será a moeda do futuro! E neste novo mercado, um Networking bem estruturado e administrado será essencial para o sucesso!

Hoje, a grande parte daqueles que utilizam o Twitter, gera e consome conteúdo, seja ele pessoal, jornalístico ou de negócios, e as pessoas deixam ali, sem perceber, seus hábitos, seus costumes, um pequeno diário de seus cotidianos. Surge um novo mundo, comandado pelas mídias sociais, no qual a informação sai do formato, um para muitos, e transforma-se em um grande fenômeno de descentralização. Gerando assim, conteúdo de muitos para muitos!

No caso específico do badalado Twitter, as finalidades são muitas, e a cada dia, surge um novo Gadget, uma nova função, que pode maximizar relacionamentos e principalmente os negócios. Por exemplo, tenho muitos seguidores que me enviam de tudo, profissionais contando fatos corriqueiros do seu cotidiano, pedidos de emprego, perguntas sobre o mundo dos negócios, agências de notícias que em tempo real revolucionam o jornalismo moderno, e empresas vendendo seus produtos e serviços. Mas o que realmente acho incrível, são aqueles que já descobriram no Twitter, além de uma excelente ferramenta de vendas, um fantástico e primoroso construtor de redes de relacionamento, que bem cuidado, pode maximizar seu Networking e render muitos novos contatos e negócios.

Twittar é uma tarefa extremamente importante quando nosso objetivo é ser visto! E além de divulgar nossa imagem e ou produto, receber em tempo real, o feedback do consumidor, que pode expressar-se por um canal direto. E é esta atenção e velocidade que cativa, mas para que o “encanto” não se quebre, é preciso estar de olhos abertos, e atento às necessidades, respondendo dúvidas e reclamações de maneira rápida, cordial e profissional.

Costumo usar o Twitter para divulgar negócios e lançamentos de minhas empresas, notícias que acho pertinentes aos meus seguidores, artigos que escrevo, e também, como um forte canal direto de relacionamento. E já conheço um bom número de empresários, que abriram seus olhos para esta nova ferramenta, e utilizam o miniblog para conversar com seus consumidores, lançar promoções e vender produtos variados, que vão de canetas e celulares, até lanchas, casas, carros e aviões.

É disso que estou falando, mobilidade aliada a habilidade para gerar negócios e para construir relacionamentos! Por isso, precisamos realmente aprender como e quando fazer uso destas inovações, os horizontes são imensos, posso até dizer, sem limites! Pois esta cascata tecnológica que cai sobre nós, gera mais inovações em cadeia, e este avanço, está nos levando para um novo e diferenciado modelo de relacionamento, no qual, os negócios acontecerão sem limites físicos. Mas não devemos esquecer, gente é gente! Gostamos de nos relacionar, conversar, ter atenção, conhecer pessoas e culturas diferentes, e Networking se desenvolve assim, dizendo pra todos o que você faz, batendo papo, sendo visto, e principalmente, sendo lembrado!

Se você ainda não faz uso das mídias sociais, faça uma experiência, é de graça! Crie perfis específicos para os tipos de relacionamento que deseja ter, pessoais ou corporativos. Tenha cuidado ao misturar vida pessoal e trabalho! Seja extremamente cordial, sério e profissional. Esta política é observada e respeitada por aqueles que participam de tais mídias, e você logo perceberá, que os resultados começarão a surgir, e poderá então, reconhecer de imediato, aquilo que não funciona e o que funciona de fato no seu caso. Lembre-se que você não precisa participar de todas as redes sociais existentes, e com o tempo e experiência, naturalmente utilizará mais, aquelas que melhor se adaptam ao seu perfil, e que lhe trazem maior número de feedbacks.

Para encerrar, eu não poderia terminar este artigo, sem convidar a todos para um bate-papo no Twitter, estou à disposição daqueles que desejam conversar um pouco mais a respeito de Networking, esta nobre arte de construir relacionamentos, e também, aberto a oportunidades e a realização de bons negócios!

Nos vemos no twitter.com/fabioazevedo , até lá!

Fábio Azevedo
www.twitter.com/fabioazevedo
www.saladetreinamento.blogspot.com
www.fabioazevedo.net

*Fábio Azevedo
Empresário, Diretor de Desenvolvimento e Relacionamento com o Mercado da GT Editora. Escritor, roteirista, professor, palestrante, consultor de negócios na área imobiliária e de franchising. Colunista e articulista, escreve no Brasil e exterior para várias revistas, jornais, sites e portais na internet, sobre vendas, networking, gestão, liderança, franquias, marketing, estratégia, inovação e empreendedorismo.

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Para quem eu trabalho?

 

Para quem eu trabalho?

Por Marcelo Gonçalves*

         Vivemos um momento em que o mercado de trabalho está cada vez mais competitivo. Algumas qualificações profissionais consideradas diferenciais no passado passaram a ser obrigatórias. Possuir fluência em inglês, MBA, pós-graduação e outros cursos de especialização já não é mais garantia de empregabilidade. Então, como construir uma carreira sólida, sustentável e que, independente do atual emprego, permita ao profissional se manter ocupado?

         Antes de responder à pergunta anterior, devemos nos perguntar: Para quem eu trabalho?

         Muitos responderão o nome do seu líder ou da empresa. E é nesse exato momento que começamos a notar a diferença entre um profissional com uma carreira de sucesso e outro que apenas sobrevive às diversas crises.

         Enquanto o profissional não mudar sua forma de pensar e parar de considerar que trabalha para "alguém", é muito provável que ele se sinta explorado, ou comece a refletir diversas vezes durante o dia que não é remunerado adequadamente para uma determinada ocupação. Dessa forma, é inevitável que tire o pé do "acelerador", fazendo o mínimo possível para não ser disponibilizado ao mercado, termo que prefiro utilizar em lugar de demitido.

         Então, a resposta não parece simples, mas é importante pensar em quem é o responsável pelo seu Curriculum Vitae (CV). Certamente, a partir daí, você poderá chegar à conclusão de que a cada dia construímos um pouco mais nosso CV. Dessa forma, se deixar de produzir um dia, não tenha dúvidas de que amanhã vai acordar valendo o mesmo que hoje, entretanto, estará menos competitivo, pois novos profissionais ingressam todos os dias no mercado de trabalho e provavelmente trazem experiências que você deixou de adquirir.

         Não há segredos: somos remunerados pelo conhecimento que temos e, principalmente, pela forma como utilizamos esse conhecimento. É importante destacarmos que caso você receba uma proposta para a qual será remunerado por um valor muito superior ao que sabe que "vale" no mercado, não pense apenas que tirou a sorte grande, pois é muito provável que existirão riscos e, infelizmente, por olhar apenas para o salário, não conseguirá percebê-los, entrando em uma "linda piscina gelada".

         O profissional que quer construir uma carreira sólida e conquistar o sucesso sustentável deverá ter sempre em seus pensamentos a importância de se ser paciente para esperar o momento certo de ser promovido; respeitar a todos colaboradores, independente do cargo que ocupam; ter postura para servir como exemplo e referência; estudar muito e motivar a equipe para que faça o mesmo. Dessa forma, terá tudo para construir uma carreira de sucesso, mas que poderá ser bruscamente interrompida se o profissional pensar que é simplesmente o cargo que ocupa.

         Construa tudo isso, mas nunca aja com arrogância, pois a soberba mata a carreira de qualquer profissional. Ética, transparência e dedicação são três palavras simples, mas que fazem a maior diferença.

 

*Marcelo Gonçalves é sócio-diretor da BDO Trevisan.

  


Colega jornalista,

Para eventuais pedidos de entrevista com profissionais da BDO Trevisan sobre o tema do release  e do artigo acima ou sobre outros assuntos, entre em contato conosco. Caso publique ou divulgue as informações, por favor, avise-nos, se possível, respondendo a este e-mail para que possamos manter nosso clipping sempre em dia

Um grande abraço,

Carlos Brazil 


BDO Trevisan Auditores Independentes

Assessoria de Imprensa – Ricardo Viveiros & Associados – Oficina de Comunicação

Jornalista responsável – Carlos Brazil (MTb 24.098)

Tel. 11 3138-5308 – Cel. 11 9347-4901 – e-mail carlos.brazil@bdotrevisan.com.br

Supervisor – Augusto Diniz (MTb 16.453)

Tel. 11 3675-5444 – e-mail augusto.diniz@viveiros.com.br

www.bdotrevisan.com.br

 

 

ARTIGO: Muito prazer, esse sou eu

 
                                                                                                                    Muito prazer, esse sou eu

Luiz Gonzaga Bertelli*

 

Chegou a primeira temporada de fartura de oferta de estágios. Nessa época, em razão da conclusão de cursos de muitos estagiários ou do encerramento de contratos de outros tantos, aumenta o volume de vagas em aberto. Diante desse cenário favorável, o CIEE recomenda que os interessados atentem para dois pontos. O primeiro é a consulta constante às vagas disponibilizadas no site www.ciee.org.br. O segundo é a atualização do currículo postado no banco de dados do CIEE, pois a ausência de um quesito – por exemplo, a conclusão de um curso de idiomas ou de informática – poderá significar a perda da contratação.

Aqui, vale um conselho: o primeiro passo que o recrutador dará, para preencher uma vaga de estágio, é analisar o currículo do candidato.

Mas redigir um currículo atraente não é tão difícil, pois há normas que servem de orientação. A regra mais importante é uma só: menos é mais, pois o selecionador raramente lerá mais de uma ou duas páginas de papel sulfite. Esse espaço é suficiente para conter os cinco blocos indispensáveis para organizar o conteúdo. O primeiro deve conter dados pessoais atualizados, incluindo números de telefone e endereço de e-mail. Depois, vem o objetivo, em que o candidato contará em poucas linhas qual é a área de interesse e um resumo de suas qualificações. No terceiro bloco, entra a formação acadêmica – o nome da escola em que se cursou o ensino médio, no caso de candidatos universitários, aparece somente se for de extrema relevância –, sem se esquecer de dizer qual é a previsão de término do curso.

O quarto bloco relacionará as experiências profissionais anteriores e pode ser suprimido, caso o jovem não as tenha. E, por fim, informações adicionais que podem diferenciar o candidato dos demais, tais como: conhecimento de idiomas e programas de informática; vivências internacionais; cursos, seminários e palestras a que tenha assistido, etc.

Todas essas dicas e muitas outras fazem parte do curso Currículo sem segredo, que é feito gratuitamente no site www.ciee.org.br. Os estudantes cadastrados no CIEE têm outro benefício: ao clicar a opção "Currículo" do portal, o sistema gera automaticamente ­– e na formatação valorizada pelo mercado ­– um documento com todas as informações previamente registradas. Agora ficou fácil.

 

*Luiz Gonzaga Bertelli é presidente executivo do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), da Academia Paulista de História (APH) e diretor da Fiesp.

 

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Superempreendedores Brasileiros na XIV Bienal do Rio de Janeiro

Superempreendedores Brasileiros na XIV Bienal do Rio de Janeiro
*por Fábio Azevedo



Neste último fim de semana, conversando com um grupo de amigos, comentei que eu e meus sócios estaríamos presentes na XIV Bienal do Rio de Janeiro, e um deles me perguntou:
Isso parece loucura, como sua empresa sobrevive? Como se ganha dinheiro com histórias em quadrinhos no Brasil?
Feliz com a curiosidade, eu respondi o seguinte:
Dentro do cenário editorial nacional, os últimos anos têm trazido mudanças significativas, e a crise mundial também afetou severamente o mercado de publicações em quadrinhos.
Focado anteriormente na produção de conteúdo para um público majoritariamente infantil, e com poucas opções de títulos e autores, os leitores atuais já possuem maior variedade nas gôndolas de bancas e livrarias do País, contando com títulos que alcançam um maior público juvenil e adulto. Mas esta mudança veio acompanhada de fenômenos que causaram mutações no cenário global e nacional. Megaeditoras e seus títulos tradicionais, foram atingidas em cheio, e adaptações tiveram que ocorrer, para que personagens que arrecadam bilhões de dólares ao redor do mundo, não desaparecessem subitamente do setor de licenciamento.
No Brasil, o reinado de algumas editoras que publicam quadrinhos já beira os 40 anos, mas só agora, algumas delas, estão conseguindo se atualizar, dando novo formato aos seus personagens e publicações, sob pena de perderem definitivamente a atenção do consumidor, caso não se enquadrem no perfil de consumo desta nova e exigente geração.
Muitos ainda associam os personagens e suas histórias em quadrinhos a “coisas de criança”, mas neste mercado, também de “gente grande”, os ídolos de nossa infância valem muitos cifrões, e são sempre horizontalizados de forma multimídia, para que ocupem totalmente este precioso espaço nos seguimentos do comércio e indústria, desenvolvendo um processo de alavancagem que movimenta trilhões de dólares, abarrotando as prateleiras do varejo ao redor do globo.
Neste universo que há muito tempo vive entre ratos, patos, gatos e cachorros falantes, turminhas animadas e muitas aventuras, um seguimento específico ganha mais e mais “poderes” a cada dia, os super-heróis! Movimentando fortemente o setor de entretenimento com produtos para cinema, TV, internet, celulares, games e outras mídias, os superpoderosos personagens são responsáveis por faturamentos astronômicos, e os conglomerados corporativos que os coordenam, não abrem mão de conquistarem cada vez mais espaço no fantástico mundo do entretenimento. Situações que somente são percebidas por alguns, quando anúncios de mega-aquisições são feitos à imprensa mundial, como a realizada na última semana, pela Walt Disney Co., que fechou acordo para a compra da Marvel Entertainment Inc. por US$ 4 bilhões. A Marvel, hoje, é a editora de quadrinhos que publica super-heróis clássicos, como os X-Men, Homem-Aranha, Hulk, e conta com um portifólio de mais de cinco mil personagens. Com esta aquisição, a Disney visa crescer e ampliar a criação de conteúdos e empreendimentos, além de recuperar o espaço perdido em bancas e livrarias, já totalmente tomado pelos inúmeros títulos de super-heróis em todo o planeta, que retiraram das prateleiras, personagens históricos, como Mickey, Pato Donald e Tio Patinhas.
Este macromercado de super-heróis, possui suas raízes nas tão antigas e cativantes histórias em quadrinhos lançadas no início da década de 1900, e consagraram o estilo super-herói a partir de 1938, com o surgimento da revista do super-homem nos E.U.A. Este fenômeno mundial, vem despertando o interesse dos editores brasileiros para uma nova oportunidade, novas tendências mercadológicas que atingem um público enorme, formado por crianças, jovens e adultos, que passam de geração para geração, a sua paixão pelos heróis que povoam o inconsciente coletivo. Construindo assim, consumidores fiéis, que fazem de tudo para possuírem qualquer novidade a respeito de seus ídolos prediletos. Diante disto, podemos perceber, que este é um grande negócio, com vida longa, mas somente os extremamente competentes e persistentes conseguem sobreviver.
Desde muito jovem eu ouvia o seguinte ditado: “O empreendedor quando inicia seu negócio em meio às dificuldades, ‘é um louco teimoso’, mas quando vence e faz fortuna, é um ‘visionário’ que persistiu e acreditou no sonho!” No Brasil o mercado editorial de quadrinhos ainda engatinha. Pois poucos “visionários” entendem a amplitude deste universo, que ainda está virgem por aqui. Mas como diria o poeta, “toda grande jornada começa com o primeiro passo”, e sei que, vários outros “loucos visionários” estão comigo nesta caminhada.
Até agora, foram praticamente 1800 dias de trabalho ininterrupto desde o lançamento dos Guerreiros da Tempestade, grupo de super-heróis genuinamente nacionais, que arrebatou fãs no Brasil e também no exterior, ganharam força no mercado editorial nacional e tornaram-se uma publicação de referência no seguimento, conquistando seu espaço no mundo dos negócios, sendo escolhida como a melhor idéia do ano no setor de licenciamento, durante a feira Brazil Promotion Idea – 2006. Neste evento de dimensão internacional, nossa publicação concorreu com gigantes do mercado como: Universal Pictures; Warner Bros; Globo Marcas, Marvel (ITC América), entre vários outros pesos pesados internacionais. E Recebeu além do 1º e 3º lugares na categoria de marcas, personagens e celebridades, o título de 1ª licença de um universo de super-heróis brasileiros do mercado.
Como Empreendedor e Desenvolvedor deste projeto genuinamente brasileiro, utilizamos todos os nossos superpoderes e conquistamos nosso espaço, e pouco a pouco, estamos escrevendo nossos nomes na calçada da fama do mundo do entretenimento nacional.
A nossa publicação em quadrinhos já conquistou credibilidade e aceitação no mercado com os primeiros super-heróis brasileiros a entrarem no circuito editorial nacional, e chamaram a atenção de Diler Trindade, outro empreendedor “louco e visionário”, um dos produtores mais promissores do mundo, e atualmente o maior produtor cinematográfico do Brasil. Que decidiu transformar os Guerreiros da Tempestade, em um marco para o cinema nacional, pois fará com os personagens, o primeiro longa-metragem animado de super-heróis do País. Trazendo na bagagem mais de vinte anos de experiência, Diler é um dos “loucos visionários” mais importantes do mercado de cinema nacional, e acumula mega sucessos de bilheteria como as produções de: Renato Aragão, Xuxa, Maurício de Souza, entre vários outros cases bem sucedidos.
Outro “louco teimoso e visionário’”, que também enfrentou várias críticas, foi meu sócio e autor dos Guerreiros da Tempestade, Anísio Serrazul. Ele sempre acreditou que um dia veria seus personagens publicados e espalhados pelas bancas de todo o Brasil. E hoje, quando olhamos juntos para nossos resultados, nos orgulhamos de dizer, que os frutos deste sonho estão “voando” por aí, com seus uniformes estilizados, vivendo aventuras fantásticas, defendendo o nosso País de perversos vilões. E em breve, pousarão nas telas de cinema e nas TV’s de todo o Brasil, e ocuparão as prateleiras de todo o varejo mundial.
A espaçonave Guerreiros da Tempestade, que já alcançou altitude de cruzeiro, neste mês, conquista mais um destino, e lança uma edição especial de nossa publicação principal, para isso, convidamos a bordo, mais um parceiro para esta “missão”, a Editora Kelps, do empresário Antônio Almeida, que da mesma forma que toda a equipe dos Guerreiros, também é um “visionário”, conhecido por ser um dos maiores incentivadores da cultura na região centro-oeste do País. Este novo tripulante, leva os Guerreiros da Tempestade para o maior evento literário do Brasil, a XIV Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, que acontece de 10 a 20 de Setembro, no maior centro de convenções da América Latina, o Riocentro. Espaço no qual os Heróis Brasileiros estarão lado a lado, com outros tantos que desbravam e constroem a indústria de entretenimento nacional.
Como Empreendedor e Desenvolvedor do projeto Guerreiros da Tempestade, fico feliz de ter encontrado tantos “loucos” pelo caminho, e junto com eles, fazer parte deste projeto tão gratificante, construindo um dos pilares da indústria de entretenimento nacional. E assim, poder motivar outros “visionários”, que também já ouviram muito sobre “teimosia”, “coisas de criança”, e outros “elogios” do tipo, que só nos servem de matéria prima para a construção de nosso sonho, no qual vislumbramos uma forte indústria de entretenimento brasileira, que empregará milhares de pessoas, terá total incentivo de nossos governos, e irá gerar muitas divisas para o nosso tão talentoso País.
Ainda bem que trabalhamos com super-heróis, vivemos neste “planeta empreendedorismo”, já recebemos nossos poderes “intergalácticos visionários”, e hoje, temos uma equipe superpoderosa, disposta a tudo para concluir com sucesso está fantástica missão!
Afinal pessoal, estou aprendendo que este mercado realmente é para “gente grande”! E nele, somente “loucos” e “teimosos” superempreendedores conquistam espaço e se estabelecem!


*Fábio Azevedo
Empresário, Diretor de Desenvolvimento e Relacionamento com o mercado dos Guerreiros da Tempestade. Escritor, roteirista, professor, palestrante, consultor de negócios na área imobiliária e de franchising. Colunista e articulista, escreve no Brasil e exterior para várias revistas, jornais, sites e portais na internet, sobre vendas, networking, gestão, liderança, franquias, marketing, estratégia, inovação e empreendedorismo.
www.fabioazevedo.net
www.twitter.com/fabioazevedo