segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Comprometimento



“Comprometimento é compromisso com resultado. O resto é conto de fadas”
Por Marcelo Veras*
 
Nas minhas aulas, quanto vamos discutir a competência comportamental Comprometimento, sempre peço para alguns alunos descreverem a pessoa mais comprometida que eles já conheceram até hoje. As descrições são sempre as mesmas, ou muito próximas. As pessoas citadas são sempre colegas de trabalho com as seguintes características: cumprem horário, se preocupam com os colegas e estão sempre dispostos a ajudar, trabalham mais que os outros, fazem jornada extra, nunca reclamam de nada e fazem tudo pela empresa e pelos colegas de departamento. Ou seja, pessoas que, no ambiente de trabalho, cumprem um papel singular e que topam tudo pelo bem de todos e da empresa. Quando pergunto qual é o risco de uma pessoa com estas características virar um “burro de carga” na empresa , onde todos usam e abusam, a resposta também é sempre a mesma: grande.
 
Esta visão generalizada sobre a palavra Comprometimento é tão equivocada e atrasada quanto achar que a terra é quadrada. Na pesquisa que fizemos na ESAMC com mais de 150 líderes empresariais, esta competência, classificada como comportamental (atitude), foi unânime no quesito importância para a carreira. Principalmente, em um momento onde as estruturas organizacionais nunca foram tão enxutas e as pessoas são exigidas ao extremo para darem conta de tanto trabalho. Só que a definição do mercado e de quem chegou ao topo das principais organizações do país, Comprometimento significa “Compromisso com o resultado final”. Uma frase curta, direta e que quebra de vez esta visão equivocada sobre este conceito. Compromisso com o resultado final. Nada d o que foi descrito acima sobre as características de uma pessoa comprometida bate com a visão do mercado. Absolutamente nada. Até porque nada garante que alguém que trabalhe muitas horas consegue atingir resultados. Nada garante que alguém que ajude demais os colegas vai atingir resultados. A correlação entre horas trabalhadas, dedicação (em termos de tempo) e resultados é zero. Em alguns casos, o fato de uma pessoa trabalhar muito mais do que os colegas, podem até esconder uma fraqueza enorme de produtividade. Eu mesmo já conheci muita gente que trabalha muitas horas e entrega resultados pífios. Definitivamente muito trabalho não significa resultados bons.
 
Nos próximos artigos eu vou abordar os sete atributos que surgiram da pesquisa e que, segundo os líderes empresariais, são as reais características de um profissional com alto comprometimento. Os sete atributos são: Qualidade de entrega, Pontualidade de entrega, Orientação para resultado, Senso de urgência, Foco em soluções e não em problemas, Pontualidade em eventos e Disponibilidade. Trata-se de atributos bem claros, fáceis de serem avaliados e que representam, em última instância, uma competência de fazer as coisas acontecerem no ambiente de trabalho. Uma pegada forte e uma postura de quem faz tudo com seriedade, pontualidade, qualidade e foco em resultados. Estes são e serão sempre os profissionais mais disputados pelo mercado e que nunca terã ;o baixa empregabilidade. São pessoas que os chefes entregam um projeto e esquecem, porque sabem que a cosia vai acontecer e que não vai precisar ficar cobrando ou supervisionando o andamento do mesmo.
 
Muitos não enxergam isso e continuam acreditando numa visão romântica em torno da palavra Comprometimento. Fuja disso. Venha comigo, a partir do próximo artigo, entender e se preparar para ser conhecido como um profissional que tem comprometimento com resultados. É isso que faz a diferença hoje. O resto é conto de fadas.
 
*Vice-Presidente Acadêmico da ESAMC. Associate Partner da AYR Consulting – Consultoria de Inovação. Sócio-diretor da PRIME Educacional – Franqueada ESAMC. Professor de Marketing, Estratégia e Planejamento de Carreira do MBA da ESAMC. Palestrante e consultor de empresas nas áreas de Gestão de Carreiras e Marketing.